PESQUISADORA DEFENDE TERREIRO DE CANDOMBLÉ EM TESE DE DOUTORADO

SOBRE O EVENTO

Início: 15/09/2018 14:00
Fim: 15/09/2018 18:00

O tema “Terreiro Tumbenci: Um Patrimônio Afrobrasileiro em Museu Digital” será defendido neste Sábado, 15 de Setembro, às 14 horas, pelo Programa de Doutorado Multi-institucional e Multidisciplinar em Difusão do Conhecimento - DMMDC, uma parceria da UNEB / UEFS / UFBA / IFBA / LNCC/MCT e SENAI CIMATEC. A doutoranda Hildete Costa desenvolveu sua pesquisa no Terreiro Tumbenci – liderado pela Mameto Lembamuxi, de origem Congo-Angola, situado no bairro do Beiru, em Salvador, Bahia, Brasil, como um meio de valorização e disseminação de informações ancestrais,  através da criação de um museu digital, com o fim de instituir a patrimonialização e gerar fundamentos teóricos para a criação de políticas públicas do patrimônio afrobrasileiro.

A inexistência de organização e de tratamento do acervo do terreiro mobilizou quatro anos de pesquisa da doutoranda, cujo resultado foi a catalogação da história, dos rituais, dos Inquices e as divindades da Casa, em uma tese bem cuidada e cheia de reverências à comunidade estudada; e pretende se constituir em um espaço de conhecimentos de diferentes saberes e fazeres ligados à religiosidade dos povos Bantos.

O estudo foi baseado em questões importantes acerca da perda da memória das tradições, história e patrimônio da comunidade afroreligiosa do Terreiro Tumbenci; bem como sobre meios para oferecer fundamentos para o possível estabelecimento de políticas públicas de valorização de bens materiais e imateriais do Terreiro. Estes temas  vêm sendo estudados em contextos do grupo de pesquisa Sociedade Solidária, Educação, Espaço e Turismo – SSEETU e do Núcleo de Estudos Africanos e Afrobrasileiros em Línguas e Culturas - NGEALC.

Em resposta a essas questões, como produto do doutorado, foi construído um museu dialógico e interativo, detalhando-se os referenciais históricos, documentais e simbólicos que justificaram a importância de identificar esse Terreiro como patrimônio cultural da Bahia, a partir de uma metodologia participante e etnográfica, com elementos da pesquisa sócio- histórica. Um museu digital que disseminará acervos textuais, iconográficos e audiovisuais, compartilhando conhecimentos com pesquisadores, estudantes e comunidade. 

Para Hildete Costa, "a relevância social desse trabalho consiste em dar visibilidade ao Terreiro Tumbenci, como espaço de resistência da religião e da cultura de matriz africana herdada de Angola, possivelmente da região de Cabinda. Os conhecimentos adquiridos poderão subsidiar  intervenções e políticas públicas de preservação, criando mecanismos que estimulem o papel do turismo associado à valorização do seu patrimônio cultural, no caso o turismo de base comunitária no antigo quilombo Cabula. Tudo isso como estratégia de desenvolvimento local, divulgação e salvaguarda de seus acervos e valores ancestrais".

 

DEFESA DA TESE:

“Terreiro Tumbenci: Um Patrimônio Afrobrasileiro em Museu Digital”

Sábado, 15 de Setembro às 14h

Local: Terreiro Tumbenci

Rua Nossa Senhora  Conceição 206 E Beiru, Salvador – BA

Doutoranda: Hildete S. Pita Costa

 

MEMBROS DA BANCA EXAMINADORA:

Profa Dra Orientadora Francisca de Paula (UNEB)

Prof. Dr. Co-orientador Alfredo da Mata (UNEB)

Profa. Dra Yeda Antonita Pessoa de Castro (UFBA)

Profa. Dra Suely Aldir Messeder (UNEB)

Prof. Dr César Costa Vitorino (UNEB)

Profa. Dra Janice de Sena Nicolin (UNEB)

Profa. Dra Luciana Conceição de Almeida Martins (UCSAL)