100 Anos de Dorivaldo Dantas são celebrados com concerto regido pelo filho, o maestro Fred Dantas
28/11/2018 10:29 em Música

O maestro Fred Dantas está explodindo de orgulho e com razão. Dentro da programação que celebra os 100 anos do Museu de Arte da Bahia ele rege, no próximo dia 28, quarta-feira, às 19h, no próprio museu, um concerto super especial da Oficina de Frevos e Dobrados. O concerto celebra os 100 anos de nascimento do médico Dorivaldo Dantas, pai de Fred Dantas. Na mesma noite será lançado o livro de Isaura Reis Costa: “Dr. Dorivaldo Dantas, Médico e Educador”.

Em homenagem ao pai, o maestro Fred Dantas resgatou - reconstituindo uma obra praticamente ilegível - o “Bolero Concertante”, do compositor Amando Nobre (1903-1970), nascido na cidade de Maragogipe. Esta será uma das peças executadas pela Oficina de Frevos e Dobrados na noite especial, que contará também com a regência em uma música do maestro Estevam Dantas, solo do saxofonista Cayo Brito e a presença muito especial do cantor e compositor ícone da Bahia, Gerônimo Santana.

Dorivaldo Dantas (1918-1910) nasceu em Senhor do Bonfim, Bahia, e se criou em Salvador,  onde estudou no Colégio Antônio Vieira, diplomando-se em 1946 na Faculdade de Medicina da Bahia, em seu prédio histórico no Terreiro de Jesus. Pouco antes de se formar foi convocado para a II Guerra Mundial, servindo na VI Região Militar. O final do conflito o surpreende no estado do Pará, embarcado em serviços de patrulhamento das costas brasileiras. Fez parte do esforço de construção da Estrada de Ferro Norte-Sul, que o levou a radicar-se no interior da Bahia, onde construiu um grande legado, sendo fundador de instituições de ensino e grande benemérito da população pobre.

Maria Isaura Reis  Costa é escritora, nascida na cidade de Mairi. ainda criança  se transfere coma família para a cidade de Urandi, onde estudou o primeiro Grau. posteriormente, após concluir o segundo grau na cidade histórica de Caetité, conclui o curso superior de Pedagogia.  Sua gratidão para o Dr. Dantas materializa-se neste livro. A cidadania de Urandi se traduz agora numa série de importantes artigos nos quais ela resgata a história, biografias de pessoas ilustres, memória de edificações e comércio, enfim, toda uma Urandi di passado ressurge na sua escrita, da qual o livro a ser lançado é parte.

COMENTÁRIOS