Dez mulheres trans que você precisa conhecer
29/01/2019 14:57 em Música
por Genilson Coutinho do site Dois terços

Nesta terça (29), comemoramos mais um Dia da Visibilidade Trans, data importantíssima para dar voz a mulheres e homens trans e travestis. Com celebrações em vários estados, através de diversas ações de visibilidade e resistência, a data é especialmente importante no Braisl, país onde mais se mata transexuais e travestis no mundo.

Dia da Visibilidade Trans tem programação especial no DF

Caminhada marca Dia da Visibilidade Trans no Recife

Esse momento é mais que oportuno para falar das mulheres guerreiras do nosso estado, que lutam diariamente para ocupar espaços. Por isso o Dois Terços presta uma homenagem a elas: personalidades que se multiplicam em defesa da causa, e fazem a causa se multiplicar.

Prefeitura de Camaçari realiza evento em homenagem ao Dia da Visibilidade Trans

Para celebrar esta data, vamos apresentar 10 mulheres que você não pode deixar se conhecer:

Keila Simpson – presidente da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra).

Paulett Furacão – educadora social, poetisa, primeira transexual a ocupar um cargo no Governo do Estado da Bahia, apresentadora do Programa Close de Favela da 87.9 FM.

Ariane Senna – psicóloga, mestranda em Estudos Étnicos e Africanos no Centro de Estudos Afro Orientais- CEAO/UFBA, secretária de Juventude da Associação Nacional de Travestis e Transexuais- ANTRA.

Tanucha Taylor – maquiadora, cabeleira e estrela da arte transformista há 30 anos.

Millena Passos – diretora LGBT da UNEGRO Bahia, diretora da Una LGBT, coordenadora do gênero feminino do GGB, diretora da Rede Brasil Trans, primeira trans a ocupar um cargo em  uma Secretaria de Mulher no Brasil e assessora técnica da Secretaria de Mulheres do Governo do Estado da Bahia.

Millena Passo

Tuka Perez – primeira assessora parlamentar trans da Câmara dos Vereadores de Salvador, integrante da União das Paradas de Salvador e do Fórum TT para  Travesti e Transexuais da Bahia; presidente do grupo LGBTT Linha de Frente, de Pernambués, em Salvador.

Beatrice Fonseca Imperial – jornalista por formação, mestranda em Cultura e Identidade pela UFBA. Atualmente, atua na assessoria de imprensa da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb) e é uma das estrelas da arte transformista na capital baiana.

Bia Imperial, primeira assessora de imprensa trans da Funceb (Foto: Evandro Veiga/CORREIO

Alana Rocha – primeira jornalista a comandar um programa policial na TV baiana.

Thiffany Odara – pedagoga pela UNEB, primeira travesti a formar neste curso na instituição, especialista o em Gênero, Raça, Sexualidade e Etnia (DIADORIM/UNEB), educadora social e redutora de danos do Centro de Promoção e Defesa dos direitos LGBT Ba. Ativista do movimento negro de mulheres e LGBT.

Marina Garlen (in memórian) – Foi a voz de muitxs, ao longo da sua trajetória de luta pela visibilidade da população trans. Sua historia vive no movimento e serve de incentivo cada vez maior para as novas gerações.

Sabemos que é uma lista pequena para a grandiosidade dessa comunidade, mas certamente são nomes que representam com muita dignidade a luta que travam hoje, certamente travarão amanhã e em todos os demais dias do ano, todos os anos de suas vidas. A elas o nosso apoio e a nossa homenagem.

Marina nos deixou no dia 31 de janeiro de 2016 – Ela estava em São Paulo representado a Bahia nas comemorações. do Dia da Visibilidade Trans

Dia Nacional da Visibilidade Trans

 

29 de Janeiro é o Dia Nacional da Visibilidade Trans. A data surgiu em 2004, após a ida de travestis e transexuais ao Congresso Nacional para falar aos parlamentares brasileiros sobre a realidade em que viviam.

COMENTÁRIOS